O dialeto de uma cidade

Publicado originalmente em 1999, Dicionário de Porto-Alegrês reúne termos, expressões idiomáticas e gírias usadas pelos nativos da capital gaúcha; obra chega em edição ampliada

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre divulgação

Um dos livros mais representativos e admirados da cultura porto-alegrense, o Dicionário de Porto-Alegrês, de Luís Augusto Fischer, tem agora uma nova edição revista e ampliada. Originalmente editada em 1999 pela Artes & Ofícios, a obra, agora com 320 páginas, registra novas expressões coletadas pelo autor em anos recentes em edição da L&PM. Atento à plasticidade da língua e de sua capacidade orgânica de reinvenção e adaptação, Fischer dá alguns indícios no prefácio da nova edição sobre o trabalho constante de escuta, leitura e cotejo de palavras e expressões locais:

“Pois nos últimos dez anos muito mais gente publicou, cantou, falou em público neste dialeto. Se consolidou a dicção do Bairrista, por exemplo. Era uma brincadeira, agora é uma empresa de comunicação de inegável força. Dos autores de literatura, sem poder citar a todos, escolho um: o José Falero. Temos trabalhado juntos na revista Parêntese, tenho acompanhado sua produção narrativa, e fica tudo muito mais claro: este Dicionário estava desde sempre ligado a um esforço difuso mas forte pela validação desse jeito de falar, pensar e escrever”, explica o autor.

Sobre a obra, Cláudia Tajes escreve: “O certo é que ainda teremos muitas edições deste Dicionário porque, agora mesmo, em alguma parada, um confirmado está inventando uma expressão que logo, logo o Fischer vai tirar da nossa vida para botar na história”.

Dicionário de Porto-Alegrês: Edição revisada e ampliada está disponível em impresso e e-book.

Sobre o autor
Luís Augusto Fischer é professor de Literatura Brasileira desde 1980, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul desde 1984. É autor de vários livros, entre os quais Literatura brasileira: modos de usar (L&PM, 2007), Machado e Borges: e ouros ensaios sobre Machado de Assis (Arquipélago, 2008), Filosofia mínima: ler, escrever, ensinar, aprender (Arquipélago, 2011) e Duas formações, uma história: Das ideias fora do lugar ao perspectivismo ameríndio (Arquipélago, 2021). Edita a revista digital Parêntese (parentese.com.br).

Dicionário de Porto-Alegrês
Luís Augusto Fischer
320 p.
L&PM Editores
R$ 52,90
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s