Ana Paula Cecato: O mundo vacilou muito com a gente, né? (por Aghata Lima)

Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio

O mundo vacilou muito com a gente, né?
Cês tão ligados?
Chicotadas, cicatrizes e correntes.
Ainda sinto o peso dessas correntes, quando morre uma criança negra, brincando na calçada.
Mas né… É melhor matar…
Até porque é só um a menos no tráfico?
NÃO!
O sistema tem medo de crianças com 11 anos, que já sabem militar!

Minha poesia é atual, tipo a notícia de um homem negro que não conseguia respirar.
Pensaram que as correntes iriam ser a nossa única conquista?
E o cabelo da preta solto no busão?
Isso é uma baita revolução!
Querem colocar fé nas escolas, mas não botam fé nas crianças.

O que somos pra você?
Negros favelados com 15 anos na FEBEM?
Somos os gritos de Marielle Franco!
Somos os livros de Machado de Assis!
As poesias de Castro Alves!
Vamos nos unir, acabar com esse vírus que só mata a minha gente.

Eu só tenho 17 anos e já sei dos meus direitos.
Pensa como a próxima geração vem aí?
Precisamos de escolas antirracistas!
É um sonho de criança preta, brincar e não morrer com tiros.
É um sonho de gente preta, morrer gritando
“FOGO NOS RACISTAS”
E não ” Eu não consigo respirar.”

Por favor, parem de nos matar…
Por favor, policial, são só jovens negros sonhando com um futuro melhor!
Por favor, respeitam o meu lugar de fala.

Preciso levantar cartazes
Como protesto.
Eu não vou perder a fé
No futuro vai ter jovens negros escritores fazendo sucesso.
Pique Djamila Ribeiro.
José Falero.
Dalva Maria.

O mundo vacilou muito comigo também, Cicatrizes correntes. Não sei se vocês me entendem, é coisa de mulher preta! Sou a Aghata, tenho 17 anos e tô lutando contra as correntes.

Neste mês, a coluna é escrita pela Aghata Lima, minha ex-aluna, adolescente que “recolhe em si a fala e o ato” (como poetiza Conceição Evaristo, em “Vozes-mulheres”).

Ana Paula Cecato é graduada e mestre em Letras. É professora de Língua Portuguesa e atua no Núcleo de Formação de Mediadores de Leitura na Câmara Rio-Grandense do Livro, coordenando os cursos de extensão Tessituras: formação de mediadores para programas de leitura, e o Encontro de Práticas de Mediação de Leitura. Também coordena programas de leitura que levam autores a escolas públicas. Através do projeto Descobrinhança, visita escolas, bibliotecas, feiras de livros, ministrando encontros de formação para mediadores de leitura. Foi jurada do prêmio Jabuti de 2019, na categoria Fomento à Leitura.  www.facebook.com/descobrinhanca e anacecato@gmail.com.
Foto: Acervo pessoal.

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s