Minha rotina: Marisa B. Krás Borges

Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre foto de acervo pessoal

“A leitura é sempre a distração preferida. Tenho costume de ler vários títulos ao mesmo tempo. As vezes em diferentes idiomas para treinar outras línguas que aprendi ao longo dos anos e que, se não fosse assim, cairiam no esquecimento por falta de prática”, conta Marisa B. Krás Borges. Uruguaia de nascimento, foi a partir de Porto Alegre que a escritora construiu sua vida familiar e desenvolveu sua carreira na literatura. Autora da trilogia Duda de Yorkshore, Marisa realizou recentemente um novo movimento criativo dentro de sua área de atuação. Com o lançamento de Duda de Yorkshore e sua turma ensinam cuidados com os cães em 2020, a escritora abriu uma nova possibilidade de diálogo com seus leitores – as crianças, pais e educadores. O título é o primeiro de uma série voltada a sensibilizar os pequenos para o cuidado e o afeto, em que serão abordados temas como culinária, horta orgânica, prática esportiva e muito mais.

Nesta entrevista, a jornalista compartilha sua rotina de trabalho e sua leituras ao abrir as portas da sua intimidade profissional ao leitores de LRS. Confira!

Você tem uma rotina para escrita? Você escreve diariamente?
Sim. Meu trabalho como jornalista exige que escreva diariamente e para a publicação de um livro novo, que acontece de dois em dois anos, me dedico de corpo e alma durante alguns meses na concretização desse novo projeto. Nesse período entre uma publicação e outra, também  faço pesquisa permanente para o projeto no qual estou trabalhando. Histórica, geográfica,  técnica, etc.; procuro expertise para o tema que será tratado. Poderia dizer que sou bastante metódica e tenho uma rotina de trabalho organizada.

Você elabora algum planejamento para a produção dos seus livros?
Meus livros são todos planejados em detalhes. Primeiro defino o tema da série e escrevo o nome dos capítulos. O esqueleto em si. Por trabalhar com público infantil, dou extrema importância às ilustrações e tenho uma excelente parceria com o ilustrador Sérgio dos Santos Jr., que trabalha comigo desde a primeira publicação Duda de Yorkshore, em 2013. Após a definição dos capítulos, me concentro em idealizar as ilustrações e troco ideias com o ilustrador. Finalmente, desenvolvo o capítulo em si.

Em função de ser editora independente, cuido de todos os detalhes de produção do livro, do início ao fim. Tenho uma equipe muito qualificada que se encarrega da revisão de textos, detalhes burocráticos, técnicos, etc.

Fotos: acervo pessoal

O que você faz para distrair-se do trabalho da escrita?
A escrita é a minha maior distração. A escrita salva! Ao mergulhar no tema de cada novo livro, me renovo e desenvolvo o projeto com muita alegria e afinco. Fora isso, gosto muito de música. Até na hora de escrever tenho alguma trilha sonora que me ajuda na inspiração para a escrita. Por exemplo no terceiro livro da Trilogia Duda de Yorkshore, Duda de Yorkshore de volta ao Reino desenvolvi um gosto todo especial pela música escocesa e celta que me remetiam aos castelos medievais nas Terras Altas da Escócia dos quais estava escrevendo. Sempre acompanhada de uma boa xícara de chá. 

A leitura é sempre a distração preferida. Tenho costume de ler vários títulos ao mesmo tempo. As vezes em diferentes idiomas para treinar outras línguas  que aprendi ao longo dos anos e que, se não fosse assim, cairiam no esquecimento por falta de prática.

Adoro desenhos animados e filmes infantis. Também aprecio seriados, documentários, caminhadas ao ar livre e fundamentalmente, a companhia da família.

Qual plataforma ou editor de texto você utiliza para escrever? Por quê? E como organiza os arquivos?
Tenho utilizado o Word/Office desde o primeiro livro. Não posso dizer que seja eximia nele mas atende minhas necessidades e consigo utilizar os recursos disponíveis de maneira satisfatória. Sempre usei o Word para o trabalho e, portanto, já estou habituada com ele. Os arquivos são organizados por pastas dentro da Pasta Master Duda de Yorkshore. Como trabalho apenas com uma personagem que criei para homenagear a minha cadelinha Duda de raça yorkshire,  já falecida, pastas para cada livro são criadas e nelas são salvos os rascunhos, textos, ilustrações, áudios, pesquisas ,revisões, etc. Fica bastante fácil localizar o que procuro.

O que uma escritora precisa para escrever?
No meu caso, não preciso de muito. Amo escrever. É algo inato que já faz parte do meu dia a dia. A inspiração e a dedicação à escrita devem ser constantes para realizar um trabalho de qualidade. Poderia parafrasear uma famosa frase  de Descartes com um toque de humor: “Escrevo, logo existo”.

O que você está escrevendo no momento?
No momento não estou escrevendo porque acabo de publicar o primeiro livro  da série Duda de Yorkshore e sua turma ensinam – Cuidados com os Cães. O próximo volume dessa série dedicada aos cuidados será definido no próximo ano dentre temas como alimentação saudável, horta orgânica, música ou esportes para crianças.

Quais autores são os seus preferidos e quais livros vocês recomenda?
Sou bastante eclética com relação à leitura. Gosto de romances, livros de história, livros de contos, fábulas infantis, poemas, ,etc. Neste momento, aproveitando a comemoração do centenário de nascimento do grande poeta uruguaio Mario Benedetti (1920-2009), recomendaria sua extensa obra.

Reli durante a quarentena com alegria e prazer Platero y Yo de Juan Ramón Jimenez, que havia lido ainda criança.

Gosto muito de Isabel Allende. Recomendaria o clássico Casa dos Espíritos

Também acabei de ler Diez Mujeres de Marcela Serrano. Excelente!

Outra escritora  que recomendo é a espanhola Care Santos, que tive a oportunidade de conhecer na Feira do Livro de Porto Alegre à qual veio como convidada, em 2014. Recomendo principalmente o livro Quartos fechados.

No momento estou terminando de ler A civilização empática de Jeremy Rifkin e, como acabei de fazer uma  peregrinação virtual ao Caminho de Santiago de Compostela, reli Diário de um Magnus de Magnus Casara e comecei a ler O destino é o caminho de Ricardo Rangel.
Inspirada pelo seriado Anne com E da Netflix, estou lendo também Anne de Green Nobles, o livro que deu origem à série, da escritora canadense Lucy Maud Montgomery

Duda de Yorkshore e sua turma ensinam cuidado com os cães está com preço promocional no Mês das Crianças exclusivamente pela Amazon! Confira!

Duda de Yorkshore e sua turma ensinam cuidados com os cães
Marisa B. Krás Borges; Sérgio dos Santos Jr. ils.
22 p.
978-65-991643-0-9
R$ 7,99 R$ 3,99
Compre aqui

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s