Entrevistas

Minha rotina: mariam pessah

“Só escrever na hora da inspiração ou contando o que ‘me aconteceu’, mesmo que em prosa poética, tem um limite. A gente vê que está no ofício o dia que não sabe como começar, por onde ir e continua”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Marcelo Martins Silva

“Música é algo que considero muito importante no meu processo, nem sempre pela questão de uma busca por ritmo ou musicalidade, mas muito por certa atmosfera que determinada música suscita. Eu repito por aí que gostaria de escrever como o Thelonious Monk tocava piano”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Lélia Almeida

“Imprimo as páginas do que foi escrito e vou grudando nas paredes da casa, isto, que parece meio primitivo, realmente me ajuda a ver melhor o conjunto. Além de grudar nas paredes da casa já usei o chão para ter uma visão geral do texto como um mapa”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Marisa B. Krás Borges

“A leitura é sempre a distração preferida. Tenho costume de ler vários títulos ao mesmo tempo. As vezes em diferentes idiomas para treinar outras línguas que aprendi ao longo dos anos e que, se não fosse assim, cairiam no esquecimento por falta de prática”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Taiasmin Ohnmacht

“Na minha casa, ficção científica sempre foi um gênero apreciado por toda a família, só a invisibilidade das escritoras e escritores negros para explicar que eu tenha conhecido Octavia Butler apenas ano passado”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Caio Riter

“O escritor precisa conhecer a sua língua, precisa ser um bom (e frequente leitor), a fim de poder subverter o dizer comum, eivá-lo de emoção comunicante e de pequenos prazeres estéticos com a linguagem”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Eliane Marques

“Não gosto de me distrair do trabalho de escrita, até fico com raiva quando alguém me pede para fazer outra coisa, já que o tempo que posso me dedicar à escrita é pouco comparado às minhas expectativas”

Leia mais
Entrevistas

Minha rotina: Adri A.

“Um quadrinista precisa, acima de tudo, amar quadrinhos e querer muito transmitir sua mensagem através dos quadrinhos, independente da fama, likes e grana que isso vá – ou não – render”

Leia mais