Editora Zouk estreia na poesia com livro de Tatiana Cruz

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre divulgação

Entra em pré-venda pelo site da Zouk a partir de 1º de abril o livro Na minha casa há um leão, obra de estreia de Tatiana Cruz e o primeiro título de poemas da casa editorial porto-alegrense. O lançamento ocorre em uma live com a participação do cantor e compositor uruguaio Dany López, que musicou alguns poemas do livro (Eletrocutado, vocais Dany López e Diego Moraes, e Closet, vocais Dany López e Taïs Reganelli) em seu disco Limbo, lançado em 2020 pela Loop Discos, de Karina Xavier, sócia e idealizadora do projeto de poesia da Zouk, e da autora Tatiana Cruz. O evento ocorre no Instagram da poeta e da editora (@tatianabcruz_ e @editorazouk), às 19h. A ideia do encontro é falar sobre processo de escrita, o mercado editorial de poesia e como música, letra e poema dialogam em alguns projetos, com Dany tocando alguns poemas da autora musicados para o seu último disco. “Inauguramos a casa poética da Tatiana Cruz e com ela nosso primeiro livro de poesia na Editora: quando a arte ainda nos salva, abajur no escuro, fresta na janela, as palavras”, comemora Karina.

A obra reúne poemas inéditos e outros já publicados nas redes sociais da autora e trata de uma “poética de ambivalência”, como descreve a poeta Mar Becker, autora de A Mulher Submersa (Ed.Urutau) na orelha: “numa espécie de peregrinação doméstica, sina de bicho desgarrado, nômade, que vai colhendo achados e perdidos pelo caminho, fotografias, peças de roupa, nomes e silêncios, chiados de água fervendo na chaleira, folhas de avencas, assim Cruz nos pega pela mão e convida a perceber que duas mulheres opostas podem conviver juntas”.

Os poemas, escritos ao longo de pelo menos sete anos, são uma investigação da autora sobre o que ela gosta de chamar de “zoopoética”, entendendo essa condição de bicho, no humano, como uma condição que irrompe em meio a um endereço urbano, um território doméstico. “Acredito que o livro traga, para esse eu lírico, uma certa expulsão de elementos instintivos, animalescos, convivendo com uma rotina aparentemente domesticada. Plantas da casa, objetos pequenos, os animais que se chegam, metamorfoseados, vão conversando com os pensamentos. Claramente é uma necessidade minha, como poeta, de ancorar sentimentos em uma casa que não tem mais só função de moradia e sim de expurgo, instrumento de transformação”, conta Tatiana.

Para transmitir ao leitor essa sensação de casa, que já aparece, inclusive, no título da obra, a autora decidiu, ela mesma, organizar os poemas em cômodos. “Eu queria que o meu coração desarrumado, a minha mente confusa, transbordasse na moradia. Para isso convidei minha prima, Manuela Stein Escandiel, estudante de arquitetura, a criar uma planta baixa tradicional e, sobre o papel vegetal, manuscrito, passei a distribuir colagens manuais minhas que dialogassem com os sentimentos encontrados nos poemas”, explica a autora.

Assim, os poemas de Na minha casa há um leão são dispostos nos livros em blocos poéticos que recebem nomes de cômodos de uma casa poética e são ilustrados por cortes dessa planta baixa, que aparece, na íntegra, na parte interna da capa e da contracapa e também em um filtro no Instagram no perfil da autora, onde o seguidor pode interagir com as colagens desta casa poética em selfies e vídeos.

A capa também é uma criação da autora em parceria com a editora.“Queria algo minimalista, que desse uma ideia de casa com uma fera, portanto criei, assim, uma colagem que desse conta disso”.

Outra escritora convidada a contribuir na edição foi Lau Pátron, de 71 Leões (ed. Belas Letras). É Lau quem define a obra, no texto de contracapa, como uma troca de pele: “Tatiana troca de pele com delicadeza de ponta de dedo, assopra o corte, reverência a cicatriz, pergunta o que vem depois, e deixa fresta pra gente assistir a força do bicho sendo”, acentua

Sobre a autora:
Tatiana Cruz é jornalista e especialista em Literatura Brasileira pela UFRGS. Escreve poemas desde criança e, apenas mais recentemente, passou a fazer colagens manuais, que gosta de chamar de colagens poéticas. Tem poemas musicados e gravados nos discos Tresavento (Marcelo Delacroix, 2019) e Limbo (Dany López, 2020). Junto com a escritora Lau Patrón fundou o Sarau Nosotras, evento de abrir voz poético só para mulheres, em Porto Alegre, e, desde 2018, estuda poesia falada feita por mulher na plataforma global de pesquisa que criou no Instagram chamada 1 Minute Slam.

Na minha casa há um leão
Tatiana Cruz
Poesia
112 p.
Editora Zouk
R$ 40,50
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s