Uma utopia longa e próspera

Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre foto de divulgação

Em Star Trek: Utopia e Crítica Social, Eduardo Pacheco Freitas realiza uma minuciosa e inédita abordagem sobre alguns dos elementos fundamentais da franquia de ficção científica Star Trek. Partindo do conceito de utopia, o autor apresenta como o sonho de um mundo melhor e de uma sociedade pós-capitalista são representados nas diversas exibições da série.

Por outro lado, o livro trata das surpreendentes críticas sociais realizadas por Star Trek nas últimas cinco décadas. Temas do presente que afetam profundamente a humanidade como o racismo, o patriarcado, a luta de classes, o gênero e a homofobia foram discutidos através de histórias que se passam no futuro e em meio a alienígenas de todo tipo. Afinal, Star Trek usa o futuro para falar do presente; explora o espaço para refletir sobre a Terra; e apresenta personagens alienígenas para representar facetas do ser humano. Através desses paralelismo, a série evoca Karl Marx: “A revolução social não pode tirar sua poesia do passado, e sim do futuro”.

Ponto de vista do autor revela as diferentes camadas interpretativas de Star Trek

Além de tratar de um grande fenômeno da cultura pop, que é devidamente celebrado pelo autor, este não deixa de fazer as necessárias críticas que a franquia merece em alguns momentos da sua história. No entanto, este é um livro que vale a pena ser lido por seu ineditismo. Segundo o autor, a obra procura contemplar tanto o público que se tornou trekker em função do subtexto político quanto aquele que se encanta pelo aspecto fantasioso das histórias:

“Existe uma parcela que é focada mais nas tecnologias, nas naves, nos tipos de raças alienígenas e que não se importa muito com a crítica social. Eu, como fã que admira os dois aspectos da série, busquei no livro contemplar os dois lados, falando um pouco dos personagens, além do foco principal que é, realmente, abordar o contraste da sociedade pós-capitalista vista na série com o mundo em que vivemos”, explica.

Para o autor, é possível identificar, ao longo das cinco décadas de produção da franquia, o uso de uma estratégia narrativa da esfera da metáfora que permite uma abordagem verossímil sobre temas e conflitos das sociedades humanas:

“Ao mostrar uma raça alienígena problemática em algum episódio a série está falando na verdade do ser humano; ao situar suas histórias no espaço ou em outros planetas, muitas vezes a referência é a Terra e, por fim, ao se passar no futuro, a série na verdade mostra dilemas do presente”. É dessa forma que a série”nos permite estabelecer contrastes entre a sociedade atual cheia de conflito com o mundo criado por Gene Roddenberry, em que a humanidade superou suas mazelas através da razão”, completa o Eduardo.

Saiba mais

Sobre o autor
Eduardo Pacheco Freitas é de Porto Alegre, professor e historiador. Usa Star Trek para ensinar história e analisa episódios e filmes da série no canal Apenas um Trekker.

Star Trek: Utopia e Crítica Social
Eduardo Pacheco Freitas
Não-ficção
320 p.
16 x 23 cm
978-85-518-2398-9
R$ 54,90
Autografia

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

2 respostas para ‘Uma utopia longa e próspera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s