Pontes entre parêntesis

Volume de poemas de Michelle C. Buss referencia as distâncias geográficas, emocionais e poéticas e constrói um itinerário de superação de fronteiras

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre reprodução

Já está disponível no site da Editora Bestiário um parêntesis sobre distâncias, novo livro da poeta Michelle C. Buss. Resultado de campanha de financiamento coletivo, a publicação reúne poemas que passeiam por temas como territórios, fronteiras, imaginação, afetos, passado e voz poética, costurando uma geografia rica em penínsulas, baías, ilhas, planícies e cadeias de montanhas que são tanto metafóricas quanto literais.

A obra é enriquecida com as delicadas ilustrações da autora, que remetem ao espaço lúdico do caderno de rabiscos, como no registro pictográfico de uma viagem que supera todas as distâncias. Sobre a obra, Lúcia Collischinn de Abreu escreve na apresentação: “Tematizando a todo tempo as fronteiras, entre países, entre corpos, sentimentos e palavras, a poeta se coloca num entrelugar e se projeta para o mundo. Se no seu livro anterior o tema era ‘ser mulher, nesse o tema é ‘ser mulher no mundo’. (…) Na redescoberta de si, Michelle traduz as nossas experiências, as de mulheres viajantes, meio sem um lugar fixo, que precisam transitar para se encontrar”.

Vitor Diel

Confira aqui uma entrevista exclusiva realizada com a autora e a designer Clara Állyegra Lyra Petter quando do lançamento da campanha de financiamento coletivo que viabilizou a publicação. E abaixo, um dos poemas presentes em um parêntesis sobre distâncias.

Noites tecidas por aranhas de prata…

Adormeço na Nova,
acordo em Niassa
e percebo que um
território estrangeiro mora em mim
e percebo que
às vezes sou estrangeira de mim mesma.
Acordo em Niassa
e descubro
que uma parte de Moçambique
é um talismã sagrado
resplandecendo na minha psique.
Acordo em Niassa
e pela primeira vez reconheço
as avós de minha avó
em mim.

Sobre a autora
Michelle C. Buss é escritora e autora de três livros de poesias, entre eles, não nos ensinaram a amar ser mulher (Bestiário, 2018), finalista do Prêmio da Academia Rio-Grandense de Letras, categoria poesia, e finalista do Prêmio AGES Livro do Ano. Para a autora, poesia é ato de vida, é horizonte de possibilidades, é transcender distâncias. De alma andarilha e desassossegada, as dinâmicas e ciclos da natureza, os ritmos de novas culturas e diferentes lugares são formas que movimentam sua relação com a poesia. Desse envolvimento com as palavras, tornou-se Mestre em Letras pela UFRGS, na área de Pós-Colonialismo e Identidades, onde pesquisou o Ocultismo na obra de Fernando Pessoa. É também cocriadora do projeto literário Poesia pelo Mundo e, ao lado do poeta Leo Cruz, é curadora do Sarau Poetaria e da live Bate-papo Poético.

um parêntesis sobre distâncias
Michelle C. Buss
114 p.
R$ 44
Editora Bestiário
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s