Sujeitos e objetos de devoção

Guto Leite lança seu primeiro romance pela Zouk; história nasce a partir de protagonista em viagem, acompanhado por um pássaro do outro lado da janela

Edição: Vitor Diel sobre texto da editora
Arte: Giovani Urio sobre acervo pessoal

Uma pessoa sai de ônibus de Pelotas e, nos primeiros momentos de viagem, se depara com um pássaro acompanhando o veículo. Esse encontro com o estranho, com o real, dispara uma sequência de reflexões entrecortadas por histórias ao longo das três horas e meia de estrada até a rodoviária de Porto Alegre.

Este é o gatilho que aciona à história de Devoção, primeira narrativa longa do cancionista, professor e escritor Guto Leite.

O texto, musical e poético, explora os limites do que somos como humanos, nosso destino emaranhado ao das outras espécies, o significado imenso e ínfimo de nossas histórias individuais e as possibilidades de que dispomos para salvar um planeta, logo menos, em chamas.

Sobre a obra, a professora da USP Ana Paula Pacheco escreve: “A presença inopinada de um pássaro cujo voo acompanha o ônibus traça um círculo de deriva lírica onde habitam digressões, tentativas de abarcar na intimidade o mundo vivo. No emaranhado desse assombro concreto — o pássaro, cuja dimensão de lugar-comum se desfaz na atenção a muitas outras vozes e no fato de ser ele seguidor, e não guia —, topamos o percurso livre médio, para usar a expressão do poeta Ben Lerner, no qual o lirismo, por assim dizer, não deixa de olhar para os lados.”

No prefácio, a professora da UFRGS Karina Castilhos Lucena escreve: “Guto Leite estreia no romance sem renunciar à trajetória como poeta, compositor, cantor, professor, crítico literário, figura pública atuante no debate político. Também aqui há um movimento admirável, temos um escritor que não se protege nesta ou naquela forma consolidada, que se lança corajosamente em uma estética nova, mas sem ilusões de ineditismo ou ruptura. Um escritor que se alimenta de sua produção anterior e da tradição literária para forçar os limites do gênero romance que, aliás, sobrevive dessas torções”.

Abaixo, um trecho:

às vezes eu queria ser como um pássaro que acompanha por alguns instantes um ônibus de viagem, ser obstinado como esse pássaro, ou como um peixe, melhor, eu queria ser como o pássaro que abocanha um peixe dentro do lago, é impossível ter certeza de que ele avista o peixe antes do mergulho, quem de nós esteve atrás dos olhos de um pássaro, mais do que ver o peixe, o pássaro acredita que ele exista, atrás do muro de água, no futuro, e realiza um cálculo rigorosamente biológico, que pondera, não na razão, mas nas penas, que mais valem tantos bicos cheios de azul e alga para um, com uma brilhante escama, a limitar a dieta de rãs, esquilos e carne morta (…)

Sobre o autor
Guto Leite é Formado em Linguística pela Unicamp, especialista, mestre e doutor em Literatura Brasileira pela UFRGS, onde leciona. Autor de seis livros de poesia e três discos de música popular. Vencedor do Prêmio Açorianos de Criação Literária (poesia) e do Prêmio Açorianos de Música (compositor popular).

Devoção
Guto Leite
104 p.
R$ 41,90
Editora Zouk
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s