Clube do Livro de Canela debate romance de Clara Corleone

Ação inaugura parceria do clube com o Festival Internacional Literário de Gramado, a ocorrer em setembro

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre reproduç
ão

Em seu décimo primeiro ano de atividades, o Clube do Livro de Canela anuncia um novo critério de escolha da obra: o grupo lerá apenas autores e autoras participantes do Festival Internacional Literário de Gramado – FiliGram até setembro. A parceria com o FiliGram é uma ideia que visa ao fortalecimento de projetos de literatura na região. “Canela e Gramado têm diversas iniciativas importantes, como a Biblioteca Livre da Feirinha Orgânica, a oficina Santa Sede, o Cafezinho Literário, a Biblioteca Comunitária do Canella, A palavra está viva!, entre outros, todos engajados em fomentar o livro e a leitura. Temos apoio do poder público de Gramado, mas falta o de Canela. E também a iniciativa privada precisa apoiar”, reivindica Fernando Gomes, produtor cultural do segmento Literatura.

Inaugurando este novo critério, foi eleita a obra Porque era ela, porque era eu, da premiada escritora porto-alegrense Clara Corleone. “É o primeiro romance da Clara, que é um fenômeno de vendas, carisma e talento. Ela participará conosco virtualmente, e em setembro virá para o FiliGram”, revela Fernando.

O debate acontece no dia 1º de abril, às 19h, e tem o valor de participação de R$30 para cachê da autora e produção. O encontro será via Google Meet e as inscrições podem ser feitas pelo WatsApp e telefone (54) 99192.6187.

Porque era ela, porque era eu está à venda no Empório Canela e na Livraria Mania de Ler, em Gramado, por R$42,90.

Em seu primeiro romance, Clara aborda as relações amorosas-sexuais do século XXI, com homens e mulheres ora buscando novas formas de estar junto, ora reeditando antigos papéis. Com duas vozes e diálogos certeiros e instigantes, a autora celebra a amizade entre mulheres e o poder de se reinventar.

Sobre a autora
Clara Corleone nasceu em Porto Alegre. É atriz (formada pela UFRGS), escritora e professora de escrita criativa. Publicou o livro de crônicas O homem infelizmente tem que acabar (Zouk, 2019), que recebeu o prêmio Minuano de Literatura, do Instituto Estadual do Livro do Rio Grande do Sul. Mora em sua cidade natal, no bairro boêmio do Bom Fim, com duas cachorras, uma gata e um monte de livros. Porque era ela, porque era eu é o seu primeiro romance, vencedor do Troféu Jacarandá 2021 na categoria Autora Revelação.

Porque era ela, porque era eu
Clara Corleone
168 p.
R$ 39,90
L&PM Editores
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s