Editora Figura de Linguagem amplia catálogo com escritores internacionais

Teresa Cárdenas e Futhi Ntshingila estão entre as novas autoras da casa

A Figura de Linguagem adquiriu o direito de obras disputadas no mercado editorial internacional para lançamento em 2019. O objetivo é diversificar os gêneros, as temáticas e as vozes do catálogo da editora independente sediada em Porto Alegre. Saiba mais sobre os novos títulos abaixo.

Cornel West. Foto: Stephen Lovekin/Getty Images

Originalmente publicado em 1991 e inédito no Brasil, “The ethical dimensions of Marxist thought”, de Cornel West, traz uma contribuição relevante para o impacto do pensamento marxista em nossos dias. Na obra, West analisa como intérpretes de Karl Marx, como Friedrich Engels, Karl Kautsky e Georg Lukács, obscureceram a dimensão ética do marxismo. West é professor emérito da Universidade de Princeton e professor de Prática de Filosofia Pública na Universidade de Harvard. É autor de mais de vinte obras, entre as mais conhecidas, estão “Race Matters” e “Democracy Matters”. Além de professor e ativista, West é ator e participou dos filmes Matrix Reloaded e Matrix Revolutions.

Também inédito é o livro de poesia da escritora cubana Teresa Cárdenas, conhecida no país por seus romances. A autora deve voltar ao Brasil nesse ano para lançar “Memória de mim”, uma reunião de seus poemas. A escrita de Teresa carrega a marca da ancestralidade africana, deixando ainda evidente a experiência de ser uma mulher negra na contemporaneidade. Além de escritora, Cárdenas é bailarina e contadora de histórias. Tem dez livros publicados e suas obras foram traduzidas para o Canadá, Estados Unidos, Venezuela, Coreia do Sul, Suécia, Alemanha, Espanha e República Dominicana. Em Cuba, recebeu o Prêmio Casa de las Américas, Prêmio David e o Prêmio Nacional da Crítica Literária.

Outra obra inédita cujos direitos foram adquiridos pela Figura de Linguagem é “Who Wants To Be a Jewish Writer?”, de Adam Kirsch. No livro de ensaios, recém-lançado no mercado norte-americano, o autor explora a definição de literatura judaica e investiga de que forma escritores judeus como Stefan Zweig e Isaac Deutscher, que cunharam o termo “o judeu não-judeu”, lidaram com a política. Kirsch também examina questões de espiritualidade e moralidade nos escritos de poetas contemporâneos, incluindo Christian Wiman, Kay Ryan e Seamus Heaney. A obra ainda apresenta reflexões sobre a relação entre poesia e política e o futuro da reputação literária na era da internet. Adam Kirsch é um poeta e escritor norte-americano e escreve regularmente para publicações como Atlantic e New Yorker. Kirsch é coordenador do programa de pós-graduação do Instituto de Israel e Estudos Judaicos da Universidade de Columbia e autor de 10 livros, entre eles, “The People and the Books: 18 Classics of Jewish Literature” e “Rocket and Lightship: Essays on Literature and Ideas”.

A Figura de Linguagem também obteve os direitos de “Shameless”, da escritora sul-africana Futhi Ntshingila. O romance tem como personagem central Thandiwe, uma jovem que tem de lidar desde cedo com a pobreza e o abandono e que, adulta, trabalha como prostituta nas ruas de Yeoville, no subúrbio de Joanesburgo. Por meio da narração de Zonke, amiga de infância de Thandiwe, acompanhamos as situações de abuso e miséria a que a personagem é submetida, além da destruição da sua comunidade KwaZulu-Natal, alvo de violência do final dos anos 1980. Escritora e jornalista, Futhi é autora de obras que conseguem captar a força das mulheres para enfrentar as adversidades e as múltiplas opressões, de gênero, raça e classe.

Adam Bradley. Foto: Glenn Asakawa

A editora também deve publicar, nesse ano, “Ralph Ellison in progress”, de Adam Bradley. O estudo analisa a obra e contexto de produção de Ralph Ellison, um dos escritores norte-americanos mais proeminentes. Ellison garantiu seu espaço no cânone literário com o romance “Homem Invsível”, de 1952, obra de qualidade estética inegável na qual expõe o fracasso do sonho americano para os negros. No entanto, Ellison nunca conseguiu repetir o apuro estético e a repercussão de sua primeira obra. Por meio da obra inacabada “Three Days Before the Shooting”, Bradley postula que é possível compreender o processo de escrita de Ellison, a trajetória do próprio autor, assim como ampliar o conhecimento sobre raça, escrita e identidade americana. A fim de compor a obra, Bradley baseou-se em milhares de páginas dos diários datilografados de Ellison, rascunhos de computador e anotações manuscritas, muitas nunca antes estudadas. Por meio desse extenso material, Bradley defende que o legado literário de Ellison estendeu-se para além dos quarenta primeiros anos de sua vida e do romance que o tornou célebre. Adam Bradley é um crítico literário americano, professor e escritor especialista em manifestações da cultura afro-americana.

Autores nacionais previstos para 2019

Ana dos Santos. Foto: Josemar Afrovulto

Os autores Júlio Emilio Braz, Ronald Augusto, Ana dos Santos, Taiasmin Ohnmacht e Marcelo Silva passam a integrar o catálogo da Figura de Linguagem nesse ano. O poeta e crítico literário gaúcho Ronald Augusto lança, em junho, “O Leitor Obediente”, reunião de seus textos teóricos sobre literatura. O carioca Júlio Emilio Braz publica o livro infanto-juvenil de contos “Como se Fôssemos Invisíveis”.

Marcelo Silva. Foto: Leonardo Santos

Dentro da programação da FestiPoa Literária, que acontece de 29 de abril a 5 de maio, em Porto Alegre, serão lançados também o volume de poesia “O que Carrego no Ventre”, de Marcelo Silva, e a novela “Visite o Decorado”, de Taiasmin Ohnmacht. Já “Poerotisa”, de Ana dos Santos, tem lançamento previsto para julho.

O catálogo da Editora Figura de Linguagem está à venda em livrarias em todo o país e no site. Os livros em versão digital podem ser encontrados na Amazon.

A Figura de Linguagem é uma editora orgulhosamente independente, com sede em Porto Alegre/RS, idealizada e dirigida por pessoas negras. A editora tem como vocação a publicação de obras das áreas de comunicação, literatura, filosofia, sociologia, crítica literária, psicanálise e teatro. Desde sua criação, aplica uma política interna voltada ao antirracismo e ao combate às desigualdades de gênero.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s