Novo livro de Everton Behenck reconstrói o amor romântico em plena crise do masculino

Texto: Riobaldo Comunicação
Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre foto de Ricardo Barcello
s

.

O poeta Everton Behenck lança o livro Nada mais maldito que um amor bonito, pela Bertrand Brasil, no dia 9 de novembro, às 19h30min. O lançamento ocorre dentro da programação da 65ª Feira do Livro de Porto Alegre, com Fabrício Carpinejar e Carlos Nejar.

Conhecido por seu lirismo, Everton é autor também de Os dentes da Delicadeza (2010). Sua nova obra é um livro de poemas que, juntos, contam uma história de amor. Com todas as suas alegrias e tragédias. No início, o autor nos apresenta a grandeza de um sentimento que chega sem avisar e transforma tudo. A nós e ao mundo. Durante a leitura, acompanhamos sua mudança de perspectiva sobre a complexidade e a profundidade desse sentimento.

“O amor pode não dar certo mas só ele pode nos dar tudo”, o último verso do livro, pode ser considerado também uma espécie de tese da obra, que traz a ideia de que o amor é maior que o ser amado. Que pessoas vêm e vão e histórias vêm e vão. Mas que a vontade do amor fica. Mesmo quando a beleza dos acertos cede lugar à perplexidade, na medida em que Everton expõe as densas camadas de um coração ferido e apaixonado. O livro ainda conta com orelhas de Martha Medeiros, Fabrício Carpinejar e apresentação da poeta carioca Maria Rezende. ​

Everton Behenck autografa na Feira do Livro de Porto Alegre no dia 9;
livro chega às livrarias já no dia 4. Foto: Ricardo Barcellos

No fim o que temos é uma nova visão para o sentimento mais antigo do mundo. Uma nova construção do amor romântico saído direto das ruínas da crise que atinge o homem moderno. Um amor intenso mas que não objetifica a amada. Que sofre sem ser violento. Que se dilacera mas aceita o fim. Intenso mas sem posse. O amor entregue no livro assimila empatia e respeito pelo outro. O outro vai. Mas o amor fica, ainda, como a grande causa. O grande motor da existência.

“Everton é Bukowski, é Leminski, é Cacaso, mas, acima de tudo, é ele mesmo. Everton é porrada e suspiro. É tempestade violenta e sol devagar. É veneno e antídoto. É encontro e perdição. Faz cada inflexão, giro, metáfora, inversão de raciocínio, que não pensaremos mais a nossa vida amorosa como antes. Desculpe, não sentiremos mais a nossa vida como antes.”

– Fabrício Carpinejar

“Esse livro desmascara o amor no que ele tem de ambíguo. No início, conhecemos a grandeza de um sentimento que chega sem avisar (todo amor chega sem avisar) e nos transforma em outra pessoa: quem não acredita em Deus, passa a ter fé; quem é fatalista, passa a confiar no infinito. Os pés levitam do chão e nos entregamos ao sobrenatural. O amor e seus passes de mágica.”

– Martha Medeiros

Sobre o autor
Everton Behenck é poeta, redator e músico. Nasceu em Porto Alegre em 1979. Lançou seu primeiro livro de poemas, Os dentes da Delicadeza, em 2010 pela Não Editora. Participou de diversas antologias, revistas literárias e foi Revelação Literária na Feira no Sexto Palco Habitasul. Mora em São Paulo e é diretor de criação da agência Africa onde cria os comerciais do banco Itaú. Escrevendo também os filmes de final de ano do banco com a participação de Fernanda Montenegro que tem um grande alcance em todo o Brasil. Sendo que no último ano ele próprio foi escolhido para fazer a locução do filme dando um caráter mais autoral para a peça publicitária.

.

Nada mais maldito que um amor bonito
Poemas
Everton Behenck
128 p.
14 x 21cm
978-85-2862-438-0
R$ 32,90
Bertrand Brasil

.

Da assessoria

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s