Autores e editoras do RS na final do Prêmio São Paulo 2020

Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio

Natalia Borges Polesso e Paulo Scott são os dois nomes gaúchos entre os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2020. O porto-alegrense Scott, na categoria Melhor romance de ficção, com Marrom e Amarelo. Editado pela Companhia das Letras, o romance reproduz as tensões raciais no Brasil através da história de Federico e Lourenço, irmãos que carregam em sua história de vida os conflitos gerados por uma sociedade partida.

Natalia, por sua vez, concorre na categoria Melhor romance de ficção de estreia com o livro Controle, narrativa sobre a relação de amor e afeto entre duas mulheres, sendo Nanda, a protagonista, epilética e, por isso mesmo, submetida a cuidados e vigilância em excesso. Primeiro romance da escritora de Caxias do Sul, Controle também é editado pela Companhia das Letras.

Controle disputa, entre outros títulos, com Mônica vai Jantar, do baiano Davi Boaventura e editado pela Não, de Porto Alegre. Ambiciosa narrativa em fluxo de consciência, o romance de 96 páginas conduz o leitor para dentro de um conflito mental provocado pelo ato obsceno do marido de Mônica em um ônibus.

São dez finalistas em cada categoria. O ganhador receberá um prêmio de R$ 200 mil. A cerimônia de entrega dos prêmios aos vencedores está prevista para março de 2021.

Sobre os autores
Paulo Scott nasceu em Porto Alegre, em 1966. Escritor e professor universitário, publicou doze livros. Recebeu os prêmios Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional, APCA, Açorianos de Literatura, entre outros, e foi finalista de prêmios como Jabuti e prêmio São Paulo de Literatura. Vive atualmente em São Paulo.

Natalia Borges Polesso é doutora em teoria da literatura. Publicou Recortes para álbum de fotografia sem gente (2013), Coração à corda (2015), Pé atrás (2018) e Amora (2015), livro vencedor do Prêmio Jabuti 2016, em que explora as nuances das relações homoafetivas entre mulheres. Em 2017, foi selecionada para a coletânea chilena Bogotá39. A autora tem seu trabalho traduzido para o inglês e o espanhol e sua obra está publicada em diversos países.

Davi Boaventura é doutor em Escrita Criativa pela PUCRS e jornalista pela FACOM/UFBA. Autor de Talvez não tenha criança no céu (2012), além de ter vários contos em antologias, coletâneas e revistas literárias. Também estuda fotografia e trabalha com edição e revisão de texto. Nasceu em Salvador, em 1986.

Marrom e Amarelo
Paulo Scott
Romance
160 p.
R$ 49,90
Companhia das Letras
Compre aqui (link externo)

Controle
Natalia Borges Polesso
Romance
176 p.
R$ 44,90
Companhia das Letras
Compre aqui (link externo)

Mônica vai Jantar
Davi Boaventura
Romance
96 p.
R$ 39,90
Não
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s