Vidas áridas

Editora de Porto Alegre, Dialogar lança romance da escritora carioca Claudia Nina que tem o sertão nordestino como paisagem

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre foto de divulgação

Na paisagem sertaneja, uma pequena casa de barro mantém-se de pé, apesar das maldições. Até quando? A família de muitos filhos e parcos alimentos leva os dias com olhos cravados no agora. Benedita, a única com olhos no horizonte, planeja escapar, levando a mãe consigo. Conseguirão? Antes, precisam sobreviver às perdas que, mais do que pedras, montam o caminho da partida. Nos dois sentidos: partir de deixar e partir de quebrar-se.

Em linguagem enxuta e impactante, Claudia Nina não faz concessões à romantização da miséria, mostrando o homem virado em bicho e a luta de uma menina por manter os olhos abertos, a mente lúcida e o sonho vivo.

Benedita marca a estreia da carioca Claudia Nina no catálogo da Dialogar Editora, casa editorial sediada em Porto Alegre.

“Depois do impactante Paisagem de porcelana, Claudia Nina nos apresenta Benedita, com renovada força dramática. Ela deixa a paisagem aquática do romance de 2014 e penetra em um árido povoado não identificado do Nordeste, onde mora a protagonista e sua família miserável e faminta. A voz marcante da escritora surge agora na pele de um texto que toma emprestada a experiência da jornalista para recriar na ficção uma história imperdoavelmente sempre atual, em que a fome se torna personagem, cenário e destino”, escreve Godofredo de Oliveira Neto sobre Benedita, edição que conta com ilustrações de João Pinheiro e que foram realizadas com bico de pena especialmente para o livro.

A obra está em pré-venda pelo site da editora (link externo).

Sobre a autora
Cláudia Nina é escritora, jornalista e crítica literária. Doutora em Letras pela Universidade de Utrecht, na Holanda, com tese sobre Clarice Lispector publicada no Brasil sob o título A palavra usurpada. É autora de mais de 20 livros, entre romances, ensaios, contos, infantis e juvenis. Seu romance Paisagem de porcelana foi finalista do Prêmio Rio Literatura. É cronista do Jornal Rascunho e mantém o podcast Histórias que a vida conta. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o ilustrador
João Pinheiro é artista visual e quadrinista. É autor de Kerouac, Burroughs, com edições na Turquia e na França, e Carolina, junto com Sirlene Barbosa, publicado também na França, indicado ao Prêmio Jabuti, ganhador do Prêmio Ecumênico do Festival de Quadrinhos de Angoulême 2019 e do Trófeu HQ Mix na categoria Relevância Internacional 2020.

Benedita
Claudia Nina
122 p.
R$ 48
Dialogar Editora
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s