Um quelônio pra chamar de seu

Julia Dantas retorna ao romance com história sobre opressões de gênero, morte e fim de relacionamentos

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre reprodução

Já está disponível no site da DBA Editora (link externo) o novo romance de Julia Dantas. Ela se chama Rodolfo, segunda narrativa longa da autora porto-alegrense, é uma história comovente e espirituosa que orbita o protagonista Murilo e a tartaruga Rodolfo, a inesperada habitante de sua nova residência. “Porque Ela se chama Rodolfo é também um romance sobre portas que se fecham e, às vezes, se abrem, sem que compreendamos muito bem por quê. Quanto a Rodolfo, trata-se de uma tartaruga. Herança de Francesca, dona do apartamento, que escreve estranhas mensagens a Murilo com instruções sobre o que fazer com o animal. E assim, o protagonista inicia um périplo pela cidade em busca de alguém que se encarregue dele”, escreve Carola Saavedra na orelha.

A obra passeia por algumas reflexões sobre identidades de gênero ao colocar Murilo diante de uma namorada que o acusa de excesso de sensibilidade e de uma mulher misteriosa que vai ocupar cada vez mais espaço em sua vida. Confira um trecho abaixo:

A irmã larga a bolsa sobre uma das cadeiras. Percorre o apartamento inspecionando os cantos. Abre a janela, passa os dedos pelo pó que se acumula na parte interna das persianas, recolhe papéis de bala de morango de cima dos móveis (faz questão de anunciar que são catorze), recusa-se a contar as garrafas no lixo da cozinha (como se Murilo tivesse pedido, ela grita da despensa: “Me recuso a contar as garrafas de cerveja desse chão!”), retira a lâmpada queimada do banheiro, mas não encontra outra para repor. Lídia fala com o tom de voz que o irmão imagina ser o que ela usa no fórum com as testemunhas de processos de guarda de filhos, brigas por heranças e outros desastres familiares. Ela volta a parar diante dele.
— Você não tem condições de assumir uma responsabilidade dessas.
— Que responsabilidade, Lídia? Faça-me o favor.
— A tartaruga. Você não consegue tirar o lixo de dentro de casa, vai lembrar de dar comida pra ela?
Murilo abre os braços.
— Eu não preciso. Ela vai comer a mesa.

Sobre a autora
Julia Dantas nasceu em Porto Alegre em 1985. É também editora, tradutora e doutora em Escrita Criativa. Seu romance de estreia, Ruína y leveza, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2016. Durante os anos de pandemia, foi co-organizadora da antologia Fake Fiction: contos sobre um Brasil onde tudo pode ser verdade e publicou o folhetim Pássaros da cidade na revista ParênteseEla se chama Rodolfo é seu segundo romance.

Ela se chama Rodolfo
Julia Dantas
264 p.
R$ 59,90
DBA Editora
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s