Os caminhos e os afetos: entrevista com Maria Carpi

Foto: Pedro Heinrich/CRL

Uma das mais potentes e delicadas poetas brasileiras, Maria Carpi constrói, em sua obra, os entrelaçamentos necessários para a valorização do que há de mais subjetivo e sensível na vida. Nascida em Guaporé, em 1939, Maria é hoje uma das mais admiradas e respeitadas escritoras do Rio Grande do Sul. Patrona da Feira do Livro de Porto Alegre de 2018, lançou seu primeiro livro em 1990, já na maturidade: tempo este que ela legitima com a ideia de amadurecimento do fazer poético. “Foi a poesia que esperou por mim”, explica.

Nesta entrevista exclusiva, realizada por email, a escritora fala sobre os seus caminhos, seus afetos e sua weltanschauung. Confira!

A senhora estreou na literatura aos 50 anos. Por que a espera? O que houve, afinal, foi uma espera?

Cada poeta tem o seu ritmo que é a sua respiração com o mundo. Sempre digo que todos merecemos ser poetas, mas nem todos necessitam escrever poesia, a grande disciplina. A disciplina do devaneio. Eu queria ter alcançado alguns núcleos poéticos e isso necessitou de amadurecimento. Foi ela, a poesia que esperou por mim. Num poema do livro Tudo o que é belo é efêmero (Editora Belas Letras, 2017), assim digo:

A poesia esperou por mim.
Eu, mestre em atalhos e veredas,
deixei-a sem pistas de meu hálito
e, mesmo assim, ela farejou
por mim, intensificando narinas
a me desentocar. Eu, catadora
de ciscos, fungando estrelas
dos entulhos, driblando o sol
com as crinas de minhas noites

e mesmo assim, ela aguçou
as papilas a me estalar a língua.
Eu que a dispensei da exígua
carne, que a desfibrei da efêmera
árvore e mesmo assim, ela aguardou
pelo resto de mim na peneira,
com o lodo escorrido das faces.
Uma gema imperceptível a olho
nu foi-lhe suficiente e apesar
da dublagem da letra e do ritmo,
por longo tempo éramos o rosto
do papiro desenrolado das águas.

Carlos Drummond de Andrade escreveu: “Penetra surdamente no reino das palavras / Lá estão os poemas que esperam ser escritos”. Para você, a poesia nasce da palavra ou do afeto?

Belo Drummond, de ferro. A poesia entrelaça a sensibilidade e a razão. Com ambos nasce a poesia. Se faltar sensibilidade, o poema não tem razão de existir.

A poesia e o poeta têm algum compromisso político ou social?

A poesia quer – e pode – reconstruir o paraíso terrestre, onde o bem comum prevalece aos antagonismos e divergências.

Onde a senhora deposita a sua fé?

Em meu livro de ensaios, Abraão e a encarnação do verbo, afirmo que “a fé é a disponibilidade de exercer o bem”. Não importa a crença e a cor da pele. Somos irmanados pelo exercício do Bem e da Verdade.

Como a senhora vê o Brasil e o mundo em 2019?

A Humanidade sempre esteve a caminho. E o caminho tem os seus reveses, malogros e desatinos. Ao Brasil, inserido no Mundo, cabe persistir, persistir, persistir.

Tudo o que é belo é efêmero
Maria Carpi
100 pp.
14 cm X 21 cm
978-85-8174-399-8
R$ 34,90
Modelo de Nuvem/Belas Letras


Literatura RS

3 respostas para ‘Os caminhos e os afetos: entrevista com Maria Carpi

  1. E verdade, “A poesia entrelaça a sensibilidade e a razão. Com ambos nasce a poesia”. Chesterton disse-o em outros termos: “poesia sem filosofia é flatus vocis”, isto é, mera emissão de voz, ou vento. O conteúdo significativo na forma adequada produz o prazer estético, misto de sensibilidade e racionalidade, ato do “sentido inteligenciado” (J. Tobias) exclusivo dos seres humanos. Parabéns para a entrevistada. José Nedel.

    Curtir

  2. Maria Carpi, sempre nos fazendo refletir!
    Nos leva com suas metáforas pelos caminhos de descobertas em um finfinito de encontros…
    Um longo abraço para ela
    Izabel

    Curtir

  3. A resposta para a última pergunta sobre o mundo e o Brasil: “A Humanidade sempre esteve a caminho. E o caminho tem os seus reveses, malogros e desatinos. Ao Brasil, inserido no Mundo, cabe persistir, persistir, persistir.” Infelizmente, como diz o título do livro “Tudo que é belo, é efêmero”. Passou!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s