TAG ganha prêmio LadAwards por design de livro

Texto: Assessoria
Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre reprodução

A TAG – Experiências Literárias ganhou a medalha de prata no LadAwards (Latin American Design Awards) pelo projeto gráfico da obra A velocidade da luz, que fez parte do Kit Curadoria enviado pelo clube de livros em 2019. O livro é de autoria do espanhol Javier Cercas e foi editado em parceria com a editora Globo. O LadAwards reconhece as melhores ideias e peças de design da América Latina, levando em consideração a inovação, o impacto e a criatividade dos projetos, e promovendo a indústria criativa e a comunicação visual no continente. O design próprio da TAG já se consagrou através de mais de 100 projetos gráficos exclusivos, dentre os quais 18 foram elaborados por designers do clube de livros.

O prêmio foi entregue em cerimônia que aconteceu na cidade de Lima, no Peru, no dia 28 de fevereiro. Receberam a medalha os criadores do projeto, os designers Bruno Miguell Mendes Mesquita e Paula Hentges, que contaram com a colaboração de Gabriela Heberle na criação. “A TAG busca ser referência no design editorial brasileiro e, receber um prêmio como o LAD, é uma forma de concretizar esse objetivo. Buscamos proporcionar uma experiência única para nossos associados, e por isso nos preocupamos com cada detalhe, desde o momento em que o associado recebe a caixinha em casa, até as suas interações em nossos aplicativos. O projeto gráfico é parte essencial dessa experiência e influência muito a percepção que os usuários têm sobre os livros”, afirma Mesquita.

Sobre o projeto premiado

Para o projeto gráfico do livro A velocidade da luz, os designers buscaram traduzir em imagens a guerra que Rodney, personagem da história, ressalta. A capa traz uma imagem verdadeira de soldados durante a Guerra do Vietnã trabalhada a partir de uma técnica de inversão que resulta no negativo da foto, que também foi aplicada na luva do livro. “Assim temos um conjunto que remete à ideia de radiografia, presente no trecho do livro que diz: ‘Ao ler essas palavras delirantes, é forte a tentação de nelas reconhecer algo assim como o negativo de uma radiografia da mente de Rodney’. Dessa maneira, nosso projeto gráfico retratou a guerra de acordo com o ponto de vista de Rodney: brutal, impactante e bela”, completa Paula Hentges.

Já o lettering do título foi elaborado com o propósito de causar vertigem e remeter à velocidade, usando como referência outra passagem da narrativa de Cercas, que diz: “… e a guerra permite chegar muito longe e muito depressa, mais longe e mais depressa ainda, mais depressa, mais depressa, mais depressa, há momentos em que de repente tudo se acelera e há uma fulguração, uma vertigem e uma perda, a devastadora certeza de que, se conseguíssemos viajar mais rápido que a luz, veríamos o futuro.”

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s