Reflexos da Pandemia | Carolina Neves e Marlene Netto: A Cultura na janela virtual

Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre foto de divulgação/Beabah! RS

A pandemia desestabilizou nosso cotidiano, e os segmentos da cultura de um modo geral foram duramente atingidos. Nesse barco estão as livrarias, casas de shows, cinemas, teatros, bibliotecas, artesãos, músicos, contadores de histórias, atores, escritores, fotógrafos, artistas de circo e demais artistas e profissionais da cultura. Remando nessa maré, o lar destes profissionais viraram seu trabalho, e enquanto os artistas do centro se reinventaram na internet, a arte na periferia se arrastava com a tecnologia precária ou estagnação pela falta dela.

Reprodução/Rede Beabah! RS

Diante da nova realidade das janelas virtuais, os editais abertos para o setor cultural e artístico possibilitaram a continuidade de suas ações nos territórios de atuação, mesmo que de forma on-line. Como é o caso das Bibliotecas Comunitárias da Rede Beabah!, que desenvolveram o Circuito Cultural neste ano e trouxeram lives com entrevistas de artistas, vídeos de mediações de leitura e saraus com a presença de autores locais, atividades essas asseguradas pela Lei nº 14.017 – mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Assim como a Feira do Livro de Porto Alegre, que também promoveu sua última edição no formato virtual e mobilizou muitas pessoas no ano passado.

Reprodução/Silvia Do Canto

Outro exemplo disso é a artista Silvia Do Canto, que teve seu projeto Autorretratos no Isolamento contemplado por meio da mesma lei. O edital foi fundamental para a manter, não só financeiramente, pois lhe faltava trabalho, como também para preservar a sua saúde mental. Percebemos uma diversidade de conteúdos e projetos acontecendo no primeiro semestre de 2021 nas janelas virtuais e, isso, de certa forma, nos traz um respiro durante o isolamento. Se por um lado a pandemia trouxe a angústia de um cenário instável, a arte e a valorização da nossa cultura trazem nestes movimentos de mudança um grito de resistência e paixão durante o momento sombrio em que vivemos.

Carolina Neves é técnica em biblioteconomia e formanda em pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Já trabalhou em diversas escolas do município de Esteio/RS e foi professora na Educação Infantil. É a idealizadora e atualmente mediadora de leitura da Biblioteca Comunitária Circular localizada em Esteio/RS, integrante da Rede Beabah! – Bibliotecas Comunitárias do Rio Grande do Sul e da RNBC – Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias.

Marlene Netto é gaúcha, artesã, contadora de histórias e mediadora de leitura. Participou de duas coletâneas: Transgressões em 2018 e Banquete em 2019 . Em 2020 lançou, pela editora Metamorfose, o livro Flamboyant, seu primeiro trabalho solo. Adora ler e escrever.

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s