García Márquez e Leonardo Sciascia no Clube do Livro de Canela

Texto: Assessoria
Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre reprodução

Já estão definidas as duas próximas leituras do Clube do Livro de Canela, que tem realizado seus encontros virtualmente, sempre na última quinta-feira do mês. No dia 27 de agosto, a discussão será sobre Memória de Minhas Putas Tristes, o último romance do Nobel Gabriel García Márquez, publicado em 2004. No dia 24 de setembro, a obra escolhida foi A Cada um o Seu, do italiano Leonardo Sciascia. A participação nos encontros online é gratuita, mas é preciso pré-inscrição através do e-mail fernando@fccanela.com.br. Os encontros ocorrem das 19h às 21h, no Google Meet.

Sobre os autores
Gabriel García Márquez, também conhecido como Gabo, nasceu na aldeia de Aracataca nas imediações de Barranquilla, Colômbia, em 1927. Começou seu trabalho de jornalista em 1949, atuando em diversas jornais e cidades, inclusive como correspondente internacional em Nova York para o jornal El Espectador. Posteriormente, sua obra jornalística foi compilada e publicada em 5 volumes. Mas foi na ficção em que alcançou reconhecimento internacional, sendo autor de alguns dos maiores romances do século XX e considerado mestre do realismo mágico latino-americano. Em 1982, recebeu o Prêmio Nobel de Literatura pelo conjunto de sua obra. Entre suas principais obras estão Cem anos de solidão, O amor nos tempos de cólera, Crônica de uma morte anunciada, Notícia de um sequestro e Memória de minhas putas tristes.

Leonardo Sciascia nasceu em Racalmuto, na Sicília, em janeiro de 1921. Autor de romances marcados pela crítica à corrupção política e ao poder arbitrário, tornou-se um dos mais proeminentes escritores italianos do século XX. Seu primeiro livro, Favole della ditatura, uma sátira ao fascismo, foi publicado em 1950. Nas obras seguintes, alcançou o sucesso ao abordar com ironia o cotidiano na Sicília. A partir da década de 1960, passou a se inspirar nos romances policiais para desenvolver suas ideias. A Cada um o Seu, um de seus livros mais importantes, pertence a essa fase. Além de escritor, Sciascia atuou também na política. Em 1976 foi eleito para o Conselho Municipal de Palermo. Posteriormente, atuou no Parlamento Italiano e, em 1979, tornou-se membro do Parlamento Europeu. Sciascia morreu em novembro de 1989, em Palermo.

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s