Por uma crítica menos ordinária

Edição: Vitor Diel com texto da assessoria
Arte: Giovani Urio

Conhecido por sua escrita potente cheia de escárnio e desilusão, Luiz Mauricio Azevedo oferece aos seus leitores Estética e raça: ensaio sobre a literatura negra, livro que chega pela Sulina e que já está disponível nas livrarias. A obra reúne artigos e crônicas tanto inéditos quanto já publicados em veículos como o jornal Correio do Povo, nas revistas Cult, Nau Literária, Brasil/Brazil e Parêntese, além do site Literatura RS, onde escreve mensalmente. Os dezesseis textos são diversificados em suas perspectivas polêmicas e provocadoras, “mas sempre ancoradas em marcada honestidade intelectual e percepção analítica segura sobre os variados ângulos que envolvem a produção de e sobre negros”, escreve Rosangela Sarteschi.

Ao conduzir os leitores por comentários cotidianos, memórias, crítica literária e social, o autor exibe referências como Jeferson Tenório, Carolina Maria de Jesus, Jean-Paul Sartre, Marx, Cidinha da Silva, Toni Morrison e Ralph Ellison, entre outros. “Nessa perspectiva dialética, elabora um pensamento crítico que desvela e combate, ao mesmo tempo, o racismo, como também o pensamento antimarxista que parece prevalecer na crítica cultural desta produção”, completa Rosangela.

Confira um trecho abaixo, extraído do ensaio intitulado Ideologias literárias da cor na reconfiguração do cânone brasileiro.

“A crítica literária é, assim, ao mesmo tempo, produtora e reprodutora do apagamento da historicidade intelectual negra no Brasil. Ao se revisitar alguns dos principais nomes da crítica literária brasileira como Sílvio Romero, José Veríssimo, Alceu Amoroso Lima, Afrânio Coutinho, Antonio Candido, Alfredo Bosi, Wilson Martins, Roberto Schwarz vê-se que não há nenhum afrodescendente. Se na composição histórica da literatura brasileira tem-se, ao menos, Machado de Assis, Lima Barreto e Luiz Gama, na crítica literária há um eloquente vazio da presença negra. A crítica se apresenta como um corpo homogêneo, carregado de masculinidade, eurodescendência e referências oriundas de um imaginário que se vê como centro. A negritude surge, eventualmente, como justificativa de uma suposta falta de vigor crítico”.

Sobre o autor
Luiz Mauricio Azevedo nasceu em Cascavel, em 1980, ano da morte de Jean-Paul Sartre e John Lennon. Ele tem doutorado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com período-sanduíche na Rutgers University, Newark-NJ (EUA), e é membro da Ralph Ellison Society (Oklahoma City, EUA). Em 2018 tornou-se vegetariano e passou a acreditar que Lee Harvey Oswald agiu sozinho. Atualmente, mora em Porto Alegre, onde atua como crítico literário e editor de livros. Dentre suas paixões estão a jornalista Fernanda Bastos, a literatura, a cafeína, o jazz, o Sport Club Internacional, os boletins médicos, o mar, a arquitetura de Lina Bo Bardi, o all star de cano alto e os vinhos chilenos. Nessa ordem.

Estética e raça: ensaio sobre a literatura negra
Luiz Mauricio Azevedo
138 p.
Editora Sulina
R$ 34,90
Compre aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s