Por uma revolução afetiva e solidária

Dionísia Oliveira Machado compartilha sua história de vida em autobiografia para inspirar e empoderar outras mulheres negras

Edição: Vitor Diel sobre texto da assessoria
Arte: Giovani Urio sobre foto de Lua Cezimbra

No sábado, 18 de dezembro, às 17h30, a escritora Dionísia Oliveira Machado lança em Porto Alegre o livro Dionísia mudou as coisas de lugar, pela editora Hortélias. O evento ocorre no Armazém do Campo (Rua José do Patrocínio, 888, Cidade Baixa — Porto Alegre/RS). A obra tem financimento da Lei Federal de Emergência Cultural Aldir Blanc, através da Prefeitura de Viamão.

Dionísia mudou as coisas de lugar traz a trajetória de vida de Dionísia conduzida por uma autorreflexão sobre seu percurso como mulher negra e moradora de rua. A conquista da emancipação e a busca do empoderamento de outras mulheres constituem-se no objetivo principal de seu livro, um sonho antigo acalentado junto ao de aprender a ler e a escrever.

Artesã e fundadora da Casa da Sopa no Jardim Castelinho, em Viamão, Dionísia Machado nasceu em Triunfo, no Rio Grande do Sul. Como trabalhadora rural, mulher e mãe, a invisibilização da violência doméstica no campo a empurrou para as ruas da capital e para o alcoolismo. A partir daí, narra os acontecimentos, os encontros potentes e suas transformações pessoais, passando pelo aprendizado das artes manuais e a decisão de fazer uma sopa diariamente para as crianças da periferia onde fixou morada. Por não ter gozado do direito de entrar em uma escola, Dionísia não se alfabetizou, mas hoje tomou a decisão de alfabetizar-se partir da leitura de sua história registrada em próprio livro.

Ilustrações de Mitti Mendonça dialogam com o trabalho de artesanato realizado pela autora em coletivo de mulheres. Reprodução

Dionísia Machado queria escrever um livro com as mulheres as quais auxilia e de quem também recebe apoio. Desta forma, o livro conta com depoimentos de mulheres do grupo de artesãs Flor de Lis, coordenado por Dionísia, e que se reúne na Casa da Sopa. As imagens contidas no livro expressam a motivação deste grupo, que é o trabalho manual de bordado, tapeçaria e crochê. Uma das práticas de cura relatada pela autora era a de tecer seu tapete de retalho sozinha à noite. Essa prática lhe trouxe tanto benefício emocional que segue repassando-a aos grupos que visita. Também é fazendo artesanato que as mulheres têm o momento de fala e escuta entre si. O convite à artista visual e bordadeira Mitti Mendonça para ilustrar o livro com desenhos bordados à mão, vem desta aproximação com o trabalho que é desenvolvido pelo grupo e com esse aspecto de vida da Dionísia, onde o artesanato tem um lugar muito especial de autorreconstrução.

“Aqui eu conto um pouco da minha vida. Sempre tive vontade de fazer este livro! Sempre dizia: um livrinho pequenininho, de bolsa, mas que eu consiga deixar para outras pessoas”, explica a autora sobre o propósito de sua escrita.

A maior parte dos exemplares do livro será distribuída gratuitamente pela própria autora para as mulheres de grupos em vulnerabilidade social com as quais tem compartilhado vivências nos últimos anos nos municípios de Viamão, Nova Santa Rita e na capital, e para bibliotecas públicas e comunitárias. Ao público em geral, os contatos para aquisição do livro podem ser feitos via e-mail: hortelias@hortelias.com.br ou através do fone: (51) 9993-25230. Além da versão impressa, o livro eletrônico pode ser baixado de forma gratuita acessando este site (link externo).

Sobre a autora
Dionísia Oliveira Machado, 71 anos, reside há vinte anos no Jardim Castelinho, Vila Augusta, em Viamão/RS. Criadora e coordenadora da Casa da Sopa, um coletivo que agrega apoiadores e doadores para oferecer refeições a crianças e famílias em vulnerabilidade social. Coordenadora do grupo de mulheres artesãs Flor de Lis.

Dionísia mudou as coisas de lugar
Dionísia Oliveira Machado; Mitti Mendonça ils.
112 p.
Distribuição gratuita
Hortélias Editora

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

2 respostas para ‘Por uma revolução afetiva e solidária

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s