De libertações e outros caminhos

Novo livro de mariam pessah conta história de Manuela, personagem em busca de uma nova voz própria para narrar sua vida

Edição: Vitor Diel
Arte: Giovani Urio sobre reprodução

mariam pessah autografa seu novo livro, Em breve tudo se desacomodará, na quarta-feira, dia 20 de julho, a partir das 18h, no La Faísca Café (Av. Venâncio Aires, 1025 – Porto Alegre/RS).

Neste romance, os capítulos se apresentam como contos breves, pequenos ciclos narrativos completos em que acompanhamos a protagonista Manuela em tensão contra o passado e a trajetória que constitui a pessoa que ela é hoje. Nesse processo de separações e reinterpretações, a personagem encontra uma nova voz que vai narrar sua vida a partir dessas profundas ressignificações.

“Desde seu livro Amor, placer, rabia y revolución, a autora aponta que não basta sentir raiva, é preciso também buscar caminhos de felicidade. Amor e prazer para sustentar a revolução. Em breve tudo se desacomodará investiga os trilhos que podem levar alguém de vítima à protagonista da própria vida”, escreve Julia Dantas.

Confira abaixo um trecho da obra:

Manuela estava novamente sentada no trem. A dureza do assento de madeira e o reflexo da janela lhe devolviam imagens do passado. Não só rostos, mas também outras partes do corpo. Precisava de palavras. Entender. Havia chegado o momento de completar as frases. Ela nem imaginava quantos buracos ainda estavam cobertos por aqueles tapetes floridos que a vida por vezes coloca embaixo dos nossos pés. Nos últimos tempos tinha estado em contato direto com a mãe. As conversas sobre o passado lembraram-lhe o filme Volver, de Almodóvar. Estava pensando em assisti-lo novamente, agora com ela. Sentia como se lhe faltasse um pedaço, uma parte. Mas não sabia qual. Em breve saberia.

Agora, do trem, via a dona Clementina de pé, na estação, esperando, com as mãos uma tomando a outra na frente do corpo. Ela era uma mulher magra, com algumas rugas na pele ressequida. Quando viu a filha descer, fez um meio sorriso – os seus lábios sorriam de um canto só da boca -, quando a encontrava, ficava com uma emoção atrasada. Avançou ao encontro de Manuela. Manuela viu a mãe chegando. Abraçaram-se e foram caminhando devagar, o seu braço esquerdo continuava no ombro da filha, como uma prolongação do abraço, embora sem muito jeito.

Sobre a autora
mariam pessah nasce em Buenos Aires (1968). Em janeiro de 2001 vem participar do I Fórum Social Mundial a Porto Alegre. E fica. ARTivista feminista, fotógrafa, escritora e poeta. Graduada em Escrita Criativa pela PUCRS. Livros publicados: Grito de mar, poemas bilíngues, Editora Taverna, 1ª edição 2019, 2ª edição 2021; Amor, placer, rabia y revolución – poemas, crónicas y otros escritos, Colección Libertaria 2012; Em rebeldia – da bloga ao livro, textos feministas bilíngues próprios e de outras autoras, projeto conjunto com Clarisse Castilhos, Colección Libertária 2009; Malena y el mar, romance, Colección Libertaria 2005, traduzido ao italiano e publicado pela Edizioni 7 mari, 2008. Organiza desde 2017 o Sarau das minas/Porto Alegre e ministra a Oficina de escrita e escuta feminiSta. Também atua como tradutora. Foi ativista lésbika feminista latino-americana e caribenha durante 20 anos.

Em breve tudo se desacomodará
mariam pessah
158 p.
Editora Bestiário
R$ 38
Comprar aqui (link externo)

Apoie Literatura RS

Ao apoiar mensalmente Literatura RS, você tem acesso a recompensas exclusivas e contribui com a cadeia produtiva do livro no Rio Grande do Sul.

Literatura RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s